Go Down

Topic: Automação residencial em módulos (Read 77 times) previous topic - next topic

mardden

#255
Aug 13, 2013, 03:50 am Last Edit: Aug 13, 2013, 04:34 am by mardden Reason: 1

Eu li sobre o circuito snubber, e também sobre os TRIACs snubberless. Só vou utilizar TRIACs snubberless, espero que com eles não seja realmente necessário utilizar um circuito snubber.


Com o BTA12-600, assim que liguei o circuito a lâmpada piscou.

LegendBR

Testei só com lâmpada eletrônica, ela piscou, mas não sei se por conta do snubber ou da lâmpada mesmo, que da uma piscada antes de ligar mesmo. Depois vou testar com uma lâmpada convencional.

Legius

LegendBR você pode postar qual lampada(qual potencia e tensão) e também o modelo do TRIAC?

LegendBR

A lâmpada era uma eletrônica de 15 W (110 v), e o TRIAC era um BTA12-600B.

Legius

Já tentou utilizar um TRIAC SNUBBERLESS ou como esse mesmo triac seu(Standard), utilizar um circuito de snubber?

mardden

Esse final de semana testei o BTA16-600B com lâmpada incandescente e pl. Elas não piscaram ao ligar o circuito.
Também achei a temperatura mais baixa que usando o BTA12-600B. Com carga de 100W durante 30min a temperatura estabilizou após 20min em 56ºC.


Legius

marden você utilizou algum circuito de snubber? Algum capacitor ou algo do tipo?

Legius

Olha o que achei fuçando na net:
Nota:

1. A capacitância da junção por efeito da corrente capacitiva pode provocar disparo indesejado.

2. Tensão elevada entre o anodo e o catodo, mesmo com Ig=0 pode provocar disparo indesejado.

3. Métodos para evitar disparos indesejado  - Dois métodos se destacam para evitar disparos indesejado no SCR, são eles o resistor de gate, conectado entre o gate e o catodo para desviar parte da corrente capacitiva e o snubber que amortece as variações bruscas de tensão entre anodo e catodo.


mardden


marden você utilizou algum circuito de snubber? Algum capacitor ou algo do tipo?

Não. Eu ia testar o circuito capacitor+resistor. como não as lâmpadas não piscaram, não testei.

LegendBR

Estou com duas dúvidas com relação a como vou executar minha rede RS-485.

A primeira é com relação à topologia. O problema é que minha casa tem dois andares (térreo e primeiro), e o eletroduto que interliga os dois andares vai ficar no meio da casa, justamente onde irei colocar o nó master. Eu visualizei duas alternativas para topologia, que estão em anexo.

Na primeira topologia, o nó Master tem uma bifurcação. Já li que isso não é desejado em redes RS-485, então a minha ideia seria ter uma segunda rede RS-485, onde o Master se comunicaria com S1 ... S5 por uma rede e com S6 e S7 (são mais nós, mas coloquei só esses dois para facilitar) por outra rede, com uma segunda porta serial, um segundo chip MAX487, etc.

O problema dessa topologia é que dificulta um pouco a programação, uma vez que terei que prestar atenção sempre se a comunicação será pelo serial1 ou serial2, por exemplo. Isso eu gostaria de evitar.

Na segunda topologia, tenho somente uma rede, porém tenho um fio relativamente longo entre o último nó do andar superior (S7) e o nó seguinte do térreo (S4). Isso trás custo (fio) e dificuldade (comprimento) que poderiam ser evitados.

Pensei em utilizar um repetidor no Master, mas não sei se isso seria solução. Mas ao mesmo tempo, por ser o Master onde haveria a bifurcação, não sei se realmente haveria problema nessa topologia. O que acham?

Outra dúvida é com relação aos conectores. Nas PCBs, eu estava sempre colocando dois conectores: saída e entrada, tanto para a alimentação quanto para a rede RS-485. Mas eu poderia fazer como o conector abaixo, sendo apenas um conector para alimentação e outro para o RS-485. Isso pode melhorar a distribuição de espaço na PCB e talvez até facilitar a conexão. Será que fica tão bom ou até melhor do que um par de conectores (saída e entrada)?

bubulindo

Eu nunca usei o RS-485 (ou EIA-485 como é chamado agora) em chips como estás a fazer. Sempre que lidei com ele foi profissionalmente em módulos de automação e realmente nunca vi uma rede em árvore.

Na segunda imagem, quando falas em distâncias grandes, a que te referes? Uma distância grande para mim que moro em Londres é diferente duma distância grande para um Americano do Texas... O RS-485 funciona em distâncias bem grandes... logo não me parece que vás ter problemas por aí.

Por último, um conector para a rede parece-me suficiente. Nas redes profibus, normalmente usa-se uma ficha DB9 onde os contactos entre os dois cabos de rede estão ligados na ficha e só as linhas de dados passam para o módulo em questão.

Eu não sou o teu criado. Se respondo no fórum é para ajudar todos mediante a minha disponibilidade e disposição. Responder por mensagem pessoal iria contra o propósito do fórum e por isso evito-o.
Se realmente pretendes que eu te ajude por mensagem pessoal, então podemos chegar a um acordo e contrato onde me pagas pela ajuda que eu fornecer e poderás então definir os termos de confidencialidade do meu serviço. De forma contrária toda e qualquer ajuda que eu der tem de ser visível a todos os participantes do fórum (será boa ideia, veres o significado da palavra fórum).
Nota também que eu não me responsabilizo por parvoíces escritas neste espaço pelo que se vais seguir algo dito por mim, entende que o farás por tua conta e risco.

Dito isto, mensagens pessoais só se forem pessoais, ou seja, se já interagimos de alguma forma no passado ou se me pretendes convidar para uma churrascada com cerveja (paga por ti, obviamente).

HugoPT

Eu optaria pela imagem 2.Quanto aos conectores estas a pensar alimentar os nós com alimentaçao local ou usando o cabo de dados tipo POE?
Eu tenho uma rede de sensores em RS485 onde na board coloquei 2 fichas RJ45 (uma entra e pode sair) e passo as linhas do RS485 e as restantes usei pra power.
Ate agora estão a trabalhar mas não tenho mais que 10 sensores.A distancia total do cabo deve rondar os 200 metros em ambiente industrial.
Como tu usas muitos nós usando este método podes ter muitas perdas devido a resistividade no cabo no que toca a alimentação.
Podes sempre a meio do ramal fazer um pull-up nas linhas de alimentação caso as perdas por resistividade sejam muito acentuadas.
Debian,Mint,Ubuntu
Arduino Mega 2560
Arduino Nano
Arduino Duemilanove
MAC OS Montain Lion
Raspberry PI Model B

bubulindo


Podes sempre a meio do ramal fazer um pull-up nas linhas de alimentação caso as perdas por resistividade sejam muito acentuadas.

E fazer um pull-up em cada uma das placas?
Eu não sou o teu criado. Se respondo no fórum é para ajudar todos mediante a minha disponibilidade e disposição. Responder por mensagem pessoal iria contra o propósito do fórum e por isso evito-o.
Se realmente pretendes que eu te ajude por mensagem pessoal, então podemos chegar a um acordo e contrato onde me pagas pela ajuda que eu fornecer e poderás então definir os termos de confidencialidade do meu serviço. De forma contrária toda e qualquer ajuda que eu der tem de ser visível a todos os participantes do fórum (será boa ideia, veres o significado da palavra fórum).
Nota também que eu não me responsabilizo por parvoíces escritas neste espaço pelo que se vais seguir algo dito por mim, entende que o farás por tua conta e risco.

Dito isto, mensagens pessoais só se forem pessoais, ou seja, se já interagimos de alguma forma no passado ou se me pretendes convidar para uma churrascada com cerveja (paga por ti, obviamente).

mardden

eu usaria a Topologia 2

Pelo que entendi o ponto M (master) é uma caixa que liga os dois andares certo?
Se for isso então:
- colocaria um cabo UTP (cat-5) do S1 ao S7 passando por M mas não ligando M ao barramento;
- colocaria um cabo do M ao S5;
- usaria um par para a comunicação RS-485 do S1 até o S7 (evitando o M);
- no S7 ligaria um segundo par para dá continuação (unir par 1 e par 2 no S7);
- usaria o par 2 do S7 até o M;
- continuaria do M até o S5 com o segundo cabo.
Pronto, assim você economiza cabo e continua com a rede em um barramento se bifurcação.

Se achar a bitola pequena, você pode juntar dois pares no barramento (usar um par como se fosse um fio)
e passar um par de fios separado com bitola maior para a alimentação.

Sobre os conectores, eu estou desenhando exatamente como o seu esboço. Assim economiza em espaço.
A ideia de HugoPT em usar um conector RJ-45 fêmea é interessante. Acho que facilitaria na hora da instalação
e manutenção futura.

LegendBR

É, vou dar um jeito de usar a topologia 2 mesmo. Já pensei em uma outra solução que resolveria o problema (outro caminho).

Sobre os conectores, acho que vou partir para algo como o da imagem mesmo. Infelizmente não acho que os 3 pares restantes do cabo de rede serão suficiente para alimentar, por conta da corrente total. A ideia é passar um par de 2,5 mm2 para alimentação. Ainda preciso definir o cabo que usarei para a comunicação RS-485 (um cabo de rede seria desperdício, só usaria um par dos 4 e teria que fazer alguma coisa com os outros pares para que eles não gerem interferência).

Hugo, você poderia explicar melhor esse pull-up?

Sobre os conectores RJ-45, a ideia é boa, mas vai muito espaço na PCB, que acho que não terei. Mas vamos ver.

Go Up