Conversão A/D- D/A e comunicação de dados

Boa Tarde Pessoal
Meu professor de Teleprocessamento passou um trabalho, e eu gostaria de um direcionamento.
O trabalho deverá receber com entrada um sinal analógico produzido por um gerador de sinais. Usando um Arduíno, este sinal analógico deverá ser amostrado e digitalizado. O sinal digitalizado deverá ser serializado (sugiro uso do protocolo RS232) e transmitido serialmente para um outro Arduíno através de um cabo com transmissão serial assíncrona. O sinal digital recebido deverá ser convertido na saída para um sinal analógico que será exibido em um osciloscópio.
Como é um trabalho para ajudar a turma, não foi passado muitos detalhes e estou meio perdida.
Se alguém meio que puder me ajudar apontando uma direção, agradeço muito.

Analogread pra ler o valor, Serial.write pra enviar pro outro, Serial.read pra ler o dado enviado e Analogwrite pra enviar a tensão para o osciloscópio.

Penso que pode funcionar, apesar de nunca ter feito.

Para comprir o minimo que o teu professor te pediu o que o lago te diz ira fazer aparecer "algo" no outro arduino, mas existem muitos mas nesta questao.
Primeiro o sinal que estao a colocarno primeiro arduino nao pode exceder os 5V , o arduino nao é multitask, quer dizer que vais amostrar os dados e depois envia-los, nunca em simultaneo logo vais ter um tempo de perda quer neste ponto quer quando ficares a espera de enviar os dados com o BAUDRATE X. Do outro lado vai acontecer igual recebes processas e depois o analogwrite vai te colocar algo parecido.
Outra questao é qual a frequencia que vais colocar na entrada ...
Penso que a melhor forma de fazeres é usares antes o SPI e nao a porta serie ja que consegues mais velocidade que iras necessitar para fazer isso.
Devias considerar usar um DAC no segundo arduino
Penso que quando olharem para o que vai aparecer no osciloscopio em comparação com a entrada do sinal original vao ter surpresas ...
Isto será o que iras ver mais ou menos

Viva Hugo,

Eu acho este exercício interessante porque levanta a possibilidade de ver o impacto da amostragem, e velocidade de transmissão de dados e processamento na reconstrução do sinal do outro lado. Ou seja, qual é a frequência máxima que pode ser transmitida e em que ponto é que a baud rate deixa de ser um bottleneck.

Isto será ainda mais interessante se o professor retirar pontos a quem usar o analogRead em vez de entender como espremer ainda mais o AD no Arduino.

Não dará para alisar o PWM à saída? :slight_smile:

Tens aqui ponto de partida: ARDUINO UNO: Taxa de amostragem do conversor A/D - Embarcados